segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Druidas Mestres das Feras em D&D 5e (não oficial)

Saudações, sábios irmãos das feras!

Há algum tempo, meus corvos me trouxeram uma enquete interessante feita por jogadores de D&D trazendo quais os arquétipos mais desejados na nova versão do jogo. O arquétipo mais votado foi o “druida beast master”, o druida com um forte elo com seu companheiro animal.

Ironicamente, a mesma enquete tratou dos melhores e piores arquétipos trazidos no Livro do Jogador, e o arquétipo eleito unanimemente como o pior foi justamente o ranger beast master. Os problemas principais do arquétipo, como já debatidos nestes Salões, são: O animal tem pontos de vida baixíssimos, e independente do nível da campanha, pode ser morto em apenas uma rodada. O ranger precisa abrir mão de um de seus ataques toda rodada para mandar seu companheiro atacar, o que é absurdo tanto em termos mecânicos quanto em termos interpretativos.

Assim, trago-vos aqui uma versão aprimorada deste arquétipo para o druida, mas que pode também ser aplicado ao ranger. A única diferença é que o ranger receberia os benefícios um nível mais tarde (3, 7, 11 e 15), apenas para respeitar a progressão das habilidades dos arquétipos da classe.

HABILIDADES DO ARQUÉTIPO

Companheiro Animal (Nível 2): O druida pode treinar um animal para lhe acompanhar permanentemente, realizando um ritual de 8 horas. O companheiro pode ser um animal de ND até ¼ (lobos, águias, panteras...). Ele recebe o valor de Proficiência de seu mestre em:
- Classe de Armadura
- Jogadas de Ataque e Dano
- Testes de Resistência e Perícias em que seja proficiente.

Além disso, os Pontos de Vida do companheiro animal são sempre iguais ao máximo do animal ou sete vezes o nível o druida, o que for mais alto.

Usando uma Reação, o druida pode ordenar seu companheiro animal para realizar uma ação de ataque, corrida, desengajar ou uma ação para usar perícias com as quais o animal é proficiente.

Sentidos Aguçados (Nível 06): O animal recebe Vantagem em todos os testes de perícia em que sejam naturalmente proficientes. Quando o druida estiver a até 9 metros de seu companheiro animal, ele também recebe Vantagem nos testes destas mesmas perícias.

Fúria Bestial (nível 10): Quando usa a ação de Ataque, o animal pode desferir dois ataques na rodada.

Compartilhar Magias (nível 14): Quando você conjura uma magia sobre si, incluindo magias pessoais, você também afeta seu companheiro desde que ele esteja a até 9m.

6 comentários:

  1. Elladan, filho de Elrond23 de dezembro de 2015 10:09

    Muito bem construído, e uma adição bem vinda à classe druida, principalmente porque dos dois arquétipos existentes, apenas o círculo da lua é realmente viável.

    Desnecessário dizer, mas assim como o outro beastmaster que você apresentou meses atrás, este pode e deve ser usado no lugar do desastroso beastmaster do ranger no livro do jogador.

    ResponderExcluir
  2. gostei bastante, apesar de não ter me afundado o necessario na quinta edição, gosto da forma que voce esta abordando as classes. parabens

    ResponderExcluir
  3. Não é necessário nem comentar que isso é mil vezes melhor e mais plausível que o atual beastmaster do patrulheiro (pior classe do livro sem dúvidas). Eu pensava em alguma mudança para poder estimular meus jogadores a usarem a classe e a poder jogar também com ela, mas essa mudança que você fez é bem construida. Muito bem e obrigado! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, misterioso amigo, e sejas bem vindo aos Salões de Valhalla!

      Há um consenso absoluto de que o beastmaster é o pior arquétipo do novo D&D; ele é tão ruim que chega a ser insano pensar que permitiram que fosse inserido no Livro do Jogador. De qualquer modo, fico feliz em saber que nossa versão ajudou a ti e a teu grupo.

      Bom jogo a todos vós!

      Excluir